SINDESP-DF entrará na justiça contra greve dos vigilantes do Distrito Federal

4 de Maio de 2015 às 21:01

Nesta quinta-feira (22), os vigilantes do Distrito Federal entraram em greve para reivindicar aumento salarial e de benefícios. De acordo com Irenaldo Pereira Lima, presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Privada, Sistema de Segurança Eletrônica, Cursos de formação e Transporte de Valores no Distrito Federal (Sindesp-DF) as empresas de segurança privada ofereceram aumento salarial acima da inflação, mas a proposta foi recusada. “Nos últimos três anos, os vigilantes do Distrito Federal tiveram um ganho real de mais de 35% acima da inflação”, destaca.

O presidente comentou, ainda, que as empresas de segurança privada do DF estão há quatro meses sem receber pagamentos do Governo do Distrito Federal (GDF), mas que os salários dos profissionais está sendo pago em dia. “Os empresários estão contraindo empréstimos bancários com juros altíssimos para honrar o compromisso de pagar aos seus funcionários”, destaca Irenaldo.

O Sindesp-DF vai entrar na justiça pedindo a ilegalidade da greve, alegando cunho político. Atualmente, o Distrito Federal conta com 22 mil vigilantes ativos.