Fenavist participou da última reunião da CCASP em 2017

23 de Novembro de 2017 às 08:49

No último dia 17 de novembro, na Academia da Polícia Federal, em Brasília, ocorreu a 114ª Reunião Ordinária da Comissão Consultiva para Assuntos da Segurança Privada (CCASP). O Encontro foi o último do colegiado em 2017, e marcou a despedida de Rogério Viana Galloro, Diretor-Executivo da PF, da função de coordenador da reunião.  Ele deve deixar o cargo para assumir a Secretaria Nacional de Segurança. Uma das entidades que compõem a comissão, a Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores (Fenavist) foi representada pelo consultor Vagner Jorge.

Durante a reunião, a Coordenação-Geral de Controle de Segurança Privada divulgou a análise estatística da quantidade, duração e dos arquivamentos dos processos punitivos, julgados no período de 2014 a 2017, bem como das multas.

Além disso, foi apresentado o novo modelo de Carteira Nacional de Vigilantes (CNV), que, possivelmente, será adotado no ano de 2018. A substituição será realizada progressivamente, de acordo com o respectivo vencimento. Ficou acordado que, posteriormente, o Departamento de Polícia Federal encaminhará nota sobre os parâmetros mínimos necessários para padronização da fotografia no documento.

Embora prevista a apresentação de relatório do Grupo de Trabalho sobre a utilização de injetor de poliuretano em cofres de bases de transportadoras de valores, foi concedido um novo prazo ao grupo em questão, na medida em que a Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) informou não concordar do relatório apresentado. No entanto, foi divulgada parte dos estudos desenvolvidos.

Um representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (CONTRAF), na condição de representante do Grupo de Trabalho sobre novas tecnologias bancárias, expôs o relatório das atividades desempenhadas, bem como as dificuldades que enfrentaram para ingressarem nas instituições financeiras com o objetivo de conhecerem as atuais tecnologias adotadas. O acesso ficou limitado a somente um modelo de cofre inteligente adotado por duas instituições bancárias no Estado do Pará. O representante da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) esclareceu a impossibilidade legal de exigir aos bancos que permitam a visita.  Contudo, foi assumido o compromisso de se fazer novas tentativas. Dessa maneira, ficou definido que, caso o grupo não tenha acesso às tecnologias no prazo de 60 (sessenta) dias, será proposto um workshop com a finalidade de possibilitar que as empresas de tecnologias exponham os produtos que tem oferecido às instituições financeiras.

Também foi definido que a Fenavist irá coordenar o novo Grupo de Trabalho criado com finalidade de estabelecer padrões mínimos, fundados em estudos técnicos, para o receptáculo de guarda de material controlado em todos os postos de serviço.

Além disso, foi rejeitada uma proposta apresentada por terceiros fora do setor de segurança privada sobre a adaptação das aulas teóricas, à modalidade de ensino à distância, via web, para o curso de atualização e formação de vigilantes e segurança.  

 

114 CCASP

 

CCASP - GT NOVAS TECNOLOGIAS